As Histórias de Daniel B. “Hospital da Humanidade” cap 7

Este é o cap7 do vol 3. se ainda nao leu os anteriores, seria bom ler para conhecer a historia.




                                      CAPITULO VII

A repórter chegou na hora marcada.
Os médicos já estavam a sua espera com Dionizio.
¾    Boa tarde. Doutores.
¾    Boa tarde.
¾    Falaram com o senhor Daniel?
¾    Sim. Ele esta a sua espera.
¾    É este ai? Não foi ele que nos concedeu a entrevista no inicio das obras do hospital.
¾    Não é este não. Este é o Dionizio. Ele vai te levar ate onde esta o Daniel. Pode ser?
¾    Boa tarde Dionizio. Pode ser, sim. E onde será isto?
¾    Ele esta na Base da Lua.
¾    Lua. A nossa lua mesmo?
¾    Sim. Nós ainda não temos nenhuma base ativa nas outras luas. Não temos guarnição para isto.
¾    Bem. Se é assim. Vamos, to pagando para ver.
¾    Não será necessário. Nós temos transporte direto e gratuito.
¾    Você não entendeu, mas deixe para lá. Quando partimos? E de que iremos? E quando chegaremos lá?
¾    Partimos agora. O transporte sairá da nossa Base aqui perto. Mas não posso lhe revelar ainda a localização. Suba no planador.
¾    Sim. Ate breve doutores. Espero que esta entrevista com o senhor Daniel seja proveitosa.
¾    Será. Pode acreditar.
Dionizio a conduziu ate a Base na Montanha. Entrou pela comporta do mar.
¾    Esta base de vocês é submarina?
¾    Talvez. Mas vou deixar as respostas a cargo de Daniel.
¾    Quanto segredo. Para que isto? Parece um agente de países estrangeiros.
¾    Mas não é. É que se as pessoas soubessem nos localizar, não nos deixariam em paz. E temos muito a realizar.
¾    Imagino que seja isto mesmo. Base na lua... só vendo para crer. Deve ser um código, não é?
¾    Minha senhora. Se a senhora acredita que ter uma base aqui no satélite natural da Terra é muita coisa, se prepare para ter surpresas de te “arrancar os cabelos”.
¾    Sou uma repórter experiente, nada me assusta.
Pousaram e Dionizio foi conduzindo a repórter pelos corredores.
¾    Tudo aqui é controlado por robôs? Onde estão as pessoas?
¾    Elas estão nas salas de treinamento. Os médicos, cirurgiões, técnicos, químicos, biólogos. E as pessoas voltadas a sistemas de segurança. Militares, bombeiros, policiais, etc... tem muita gente se oferecendo para trabalhar conosco. Mas para serem aceitos têm de passar por alguns testes e serem aprovados pelo Coordenador daqui. Sem a autorização dele, nada feito.
¾    Então é este coordenador que manda, não é o senhor Daniel?
¾    Errado. O Coordenador coordena as ações, recrutamento, treino, etc.
¾    E o Daniel?
¾    O agrupamento geral. Ele gera os objetivos. Estabelece passos a serem dados. E de que maneira alcançar.
¾    Entendo. Dionizio, qual sua idade? Você parece bem novo, mas eu tenho certeza que não é esta a realidade. Por exemplo. O Daniel, a namorada dele, são muito novos, não haveria como adquirir este gigantesco patrimônio e a realização destas tantas atividades sendo desta idade. Qual o segredo?
¾    Como eu te disse, vou deixar as respostas para o Daniel.
¾    Vocês parecem ser bem amigos, não?
¾    Sim. Ele é meu único amigo. Então é também o melhor.
¾    Único amigo. Que triste. Você parece ser tão simpático. Por que não tem amigos?
¾    Sou um robô. E a única pessoa que me respeita desta forma é o Daniel.
¾    Robô? Você esta dizendo que é um robô?
¾    Sim.
¾    Mas é idêntico a um ser humano. Como pode?
¾    Estou assim a pedido de Daniel. Antes tinha outra aparência. Uma aparência de robô técnico comum. Mas como o Daniel me via como a um amigo mandou modificar minha aparência para esta. Assim posso ir a qualquer lugar com ele sem levantar polemicas...
¾    Incrível. Não posso acreditar, me desculpe o espanto.
¾    Não se preocupe. Estou me acostumando a isto.
Chegaram a sala de teletransporte.
¾    Entre.
¾    Ele  esta aqui?
¾    Não. É outro transporte.
¾    Sala estranha.
¾    Entre nesta área.
¾    Aqui? Um elevador?
¾    Sim. De certa maneira.
Dionizio acionou o teletransporte.
Desapareceram e surgiram em outra sala.
A base lunar.
¾    Onde estamos? O senhor Daniel esta neste andar?
¾    Sim. Ele esta aqui. Vamos.
Dionizio conduziu uma repórter meio pasma pelos corredores.
Ela sabia que algo de diferente havia acontecido, mas o receio da verdade lhe impedia de perguntar. Mas enfim...
¾    Dionizio, onde estamos?
¾    Eu lhe disse que o Daniel estava na Lua. Estamos na lua também.
¾    Mas, nós acabamos de entrar naquela sala. Aquela coisa não era um elevador?
¾    Não. Aquela maquina é um teletransportador. Ele te leva onde você deseja ir, desde que haja lá uma estação receptora. Esta em que estamos é a da Base Lunar.
¾    Dionizio, sei que você é um brincalhão. Mas por favor, esta na hora de parar com isto.
¾    Eu não brinco, senhora. Entre nesta sala. Daniel esta te esperando.
¾    Bem, se é assim, vamos continuar com o circo.
Entraram na sala de comando. Um, robô com aparência humana, e uma repórter super espantada.
¾    Seja bem vinda, senhora. A senhora com certeza é a repórter Linda Maniet. Estou certo?
¾    Senhorita. Esta certo sim. Senhor Daniel. Já o vi e ouvi antes, mas não tive o prazer de nos apresentarmos.
¾    Desculpe-me tê-la trazido ate aqui, mas é que tinha assuntos muito sérios para resolver aqui.
¾    Aqui. Aqui, onde? Onde estamos? Seu amigo aqui, que é um grande brincalhão, me disse estarmos na lua. É um gracejo, não?
¾    Não. Eu não pude recebê-la na Terra. Então precisei traze-la aqui.
¾    Olha, eu não acredito estar na Lua. Vamos falar serio porque meu tempo é escasso.
¾    Espere um pouco. Coordenador, abra uma tela que me mostre a superfície lunar e uma que me mostre a Terra.
¾    Será feito Daniel. Pode contemplar a primeira tela é a Lua a segunda é a Terra.
¾    Obrigado, meu amigo.
¾    Não há de que, amigo.
¾    Olhe, Linda Maniet, posso simplesmente chama-la de Linda?
¾    Sim, pode, se eu puder chama-lo de Daniel.
¾    Todos me chamam assim. Veja nas telas de observação, a superfície lunar onde estamos agora, e a Terra vista não sei de que ângulo. Mas como esta anoitecendo em nosso hemisfério. Provavelmente estamos vendo a Europa.
¾    Pare, Daniel. Eu preciso que me leve a serio e pare de brincar comigo, ou vou embora.
¾    Esta bem, se não acredita. Quer caminhar lá fora? Ou vai dizer que eu programei um sistema de computadores em tão pouco tempo, só para brincar com a senhora?
¾    Andar lá fora, como assim? No solo da Lua? Como? Daniel, é serio mesmo, estamos no satélite natural da Terra, a Lua?
¾    Sim. Estamos. Mas por pouco tempo. Preciso sair daqui para visitar uma Estação Espacial Sideral. O Comandante Deca, que daqui para frente estarei sempre dizendo só Deca, encontrou algo estranho e pediu para que déssemos uma olhada junto com ele.
¾    Estação Espacial Sideral? Uma nave espacial?
¾    Pode-se dizer que sim. Porem dentro desta nave existem centenas de outras, esta em especial fica circulando fora de nosso Sistema. Ela verifica anomalias que possam se aproximar e se tornar perigosos para nosso Sistema.
¾    E você vai ate lá? Como e quando? É meses ou ate anos para se chegar a periferia de nosso Sistema Solar.
¾    Vou chamar a Mi. Ela esta descansando em seus aposentos. Mas ela vai conosco. Dionizio se encarregue de trazer um traje espacial para a senhorita Linda.
¾    Espere ai, Daniel, eu não vou sair daqui não. Se estamos mesmo na Lua, é loucura ir lá fora da estação.  
¾    Não se preocupe. Meus equipamentos ate hoje não demostraram nenhuma falha. E Dionizio estará contigo para protege-la. 
¾    Andar na Lua. É mesmo possível?
¾    Olha, vou chamar a Mi, e vamos todos juntos. Depois a senhorita vai conosco a EESM1. Deca esta me esperando lá. Dionizio já deve estar voltando com seu traje.
¾    Esta bem. Vou confiar. Pelo menos tiro algumas duvidas. Se estão de onda comigo, ou estou realmente vivendo um conto de fadas.
¾    A Mi esta chegando. Veja.
A porta se abre e Mirian entra.
Uma cara que não sorri, mas demostra um pequeno ciúmes.
¾    Ola, atrapalho?
¾    Mi. Esta é a repórter que estávamos aguardando. Senhorita Linda Maniet. Esta é Mirian, minha namorada.
¾    É um grande prazer, Mirian. Estou meio tonta aqui. Se tudo o que estão me dizendo é verdade. Devo estar sonhando.
¾    Não esta sonhando, senhorita. Quando Daniel me apresentou seus projetos também achei loucura. Mas hoje, é a realidade. Ate o presidente e a governadora já estiveram aqui e na EESM1.
¾    O presidente e a governadora. Incrível. Chamem-me de Linda
¾    Veja Dionizio trouxe seu traje. Mi, ajude-a a vestir-se, por favor. Vamos dar um pulo lá fora e voltamos logo.
¾    Esta certo. Venha, Linda.
¾    Onde?
¾    Este traje é posto diretamente no corpo. Quer vestir-se aqui mesmo?
¾    Não. Claro que não. Vamos.
Saíram e todos se encontraram na comporta que o Coordenador liberou.
¾    Linda. Não se afaste de Dionizio. Não acione nada que a senhora não conheça no traje. Vamos apenas caminhar. Certo?
¾    Certo. Mas e se algo der errado?
¾    Dionizio resolve imediatamente.
¾    Mas ele esta sem traje, ele vai também?
¾    Sim. Ele não precisa de traje.
¾    Como? Ele vai morrer sufocado, sem ar.
¾    Depois a gente fala disto. Vamos.
Entraram na comporta e a porta traseira se fechou. Esperaram a descompressão. A porta dianteira se abre para uma paisagem que Linda nunca sonhou ver fora de seus sonhos.
Pés trêmulos pisaram na Lua. Olhos deslumbrados contemplaram a imensidão do vazio. Vazio porem cheio de estrelas.
¾    Daniel, estou mesmo na Lua?... estou sonhando. Como isto foi possível? A minutos eu estava na Terra. E agora isto. Quem são vocês? O que significa tudo isto?
¾    Não se preocupe com isto. Vamos andar um pouco.
¾    Vamos. Mas ainda estou pasma. E Dionizio. Por que ele esta sem traje de proteção? Ele me disse ser um robô? Então é verdade?
¾    Sim, é verdade. Ele nunca mente. Ele é meu melhor amigo.
¾    Mas, fala, se comunica, conversa comumente comigo. Como pode ser um robô?
¾    Ele é especial. Ele fala, pensa e aprende.
¾    Aprende? Não é possível uma maquina aprender. Ele tem de ser programado, só isto.
¾    Programado, sim. Porem, ele aprende sim.
¾    Depois nós falamos nisto. Miriam, você já tinha vindo aqui antes?
¾    Sim, centenas de vezes. No inicio todas as viagens passávamos por aqui. Hoje nós podemos pular esta etapa e irmos direto a qualquer Base. Espacial ou na Terra.
¾    Qualquer Base? Tem outras fora a que visitei?
¾    Um dia vai conhece-las. Hoje vai conhecer uma Espacial. Alem desta da Lua.
Passearam. A repórter Linda se divertiu e muito. No final do passeio, na hora de voltar a Base...
¾    Daniel e Mirian. Desculpem-me não ter acreditado em vocês. É que era tão impossível a meus olhos...
¾    Nós compreendemos.
¾    Agora vamos, tenho de ir a EESM1. Vamos.
¾    O que é EESM1?
¾    Estação Espacial Sideral Master 1. É para lá que vamos...
¾    Agora calo a boca e não duvido mais. Vamos, quero conhecer esta Base.
¾    O Deca faz dela sua base permanente. Ele ama aquela base.
¾    Quem é Deca?
¾    Ele é o meu responsável por tudo que se passa fora do planeta Terra. Ele ama estar no espaço. Já fez algumas excursões complicadas. Descobriu coisas uteis para mim. E esta sempre indo no planeta Cristaliun.
¾    Cristaliun? Que planeta é esse? Onde fica? Nunca ouvi falar nele.
¾    É um planeta inorgânico. Todo de cristal denser. Nada sobrevive nele. Retiramos o denser para fundir junto ao trinlio e fabricar o Borg. O metal que reveste minhas naves, Estacoes Espaciais. E vai cobrir toda a superfície e estrutura interna da Estação Sandra.
¾    Nunca ouvi falar sobre nada disto. E olha que me considero muito bem informada.
¾    É. Todas estas informações ainda não estão liberadas a conhecimento de ninguém. Só eu e meus colaboradores conhecemos os detalhes.
¾    E talvez um dia, eu?
¾    Sim. Se aceitar trabalhar conosco fará parte da equipe.
¾    E minha carreira? Jornalista e repórter.
¾    Com certeza ela ira decolar. Todos desejarão uma entrevista contigo. Será disputada para palestras. Vai ser uma sumidade.
¾    Eu quero acreditar. Mas é duro...
¾    Sabe a Base Sandra que mencionei?
¾    Sim. Que tem?
¾    Ela é um astro que esta a deriva do Sistema Solar. Tem aproximadamente 100 km de diâmetro. Esta sendo totalmente revestida de Borg. Terá milhões de habitantes em seus vários níveis.
¾    O que ela é realmente?
¾    Uma espaçonave gigante. Uma base móvel pelo espaço sideral a fora. Todos os tipos de fabricas. Laboratórios. Sistema de manutenção de vida. Ali se nasce e ali se vive.
¾    Uma Base de nível Planeta?
¾    Pode-se dizer isto. Ela só não poderia entrar em nenhum Sistema. Mantê-la fora da atração gravitacional seria muito difícil. Então a equipe que habitará nesta estação será a elite da elite. Descobrirão cura para tudo. Desvendarão mistérios inimagináveis. Não há limite para suas conquistas.
¾    Acredito. E a humanidade? Esta pronta para um passo destes? Quem controlará tudo isto? Você não é imortal. Um dia irá morrer. E dai em diante? Quem controlará sua herança?
¾    Possuímos tecnologia suficiente para prolongar em muito nossas vidas.
¾    Não entendi?
¾    As nossas pesquisas já nos levaram muito avante na biologia. Mas você só vai ser inteirada destes assuntos se resolver se unir a nossa equipe.
¾    Prolongamento de vida. Vocês conseguiram avanços na área de restauração celular?
¾    A resposta terá de ser sua primeiro. Quando entrar para o grupo terá acesso as informações.
¾    Deixe-me respirar primeiro. Estou sem folego. Vocês tem mais coisas escondidas na manga que um jogador de pôquer.
¾    Você  que esta dizendo.
Foram conversando e chegaram á sala de teletransporte.
¾    Entre e iremos a EESM1. Você não é a primeira. O presidente e a governadora já estiveram nela.
¾    Eu não sabia. Eles estão a par de tudo? Você trabalha para o governo?
¾    Sim e não. Eles estão a par ate a Base Sandra, a Siderúrgica e o Hospital da Humanidade. E não, não trabalho para o governo. Somos um grupo autônomo.
¾    Que bom. Eu jamais trabalharia para o governo.
¾    Não diga isto. Um dia você poderá ser o governo. E ai?
¾    Não entendi. Eu ser o governo? Sou repórter e não politica.
¾    O governo precisa de pessoas descentes e não de políticos profissionais e desonestos.
¾    Ainda bem.
¾    Então entre e vamos.
Mirian acionou a chave e desapareceram.
Surgiram na EESM1.
A repórter Linda demorou um pouco ate entender que já estava em outro lugar.
¾    Chegamos? Estamos na Estação Espacial?
¾    Sim. Vamos. Iremos a sala de controle.
¾    Em que parte estamos?
¾    Na periferia do Sistema Solar. Aquela Estação na Lua pode nos levar a qualquer base no e ao redor do Sistema Solar.
¾    Tem muitas?
¾    Não. Não chega a trinta bases ainda.
¾    Trinta? Ate hoje pensava que o mais longe que tínhamos ido, com naves tripuladas, era ate a Lua. E alguns planetas com naves não tripuladas.
¾    Se eu quisesse aparecer poderia divulgar minhas conquistas. Mas e a luta das potencias pelos meus conhecimentos? Quando o homem estiver maduro ira herdar minhas conquistas. Por enquanto quero apenas terminar o hospital. Os Bombeiros de Elite já estão operantes a bastante tempo. Já conquistaram a graça do povo. E sua aceitação. Aos poucos estou adicionando tecnologia a eles. O major Edwardo é um excelente líder para o grupo e se mantem afastado de bajuladores.
¾    Já o vi em ação.  Ele e seus grupos de apoio fazem maravilhas. Você foi muito bom em ceder a tecnologia que eles usam para trabalhar.
¾    Vou investir nos hospitais também. Pretendo interliga-los ao Hospital da Humanidade. E equipa-los melhor.
¾    Olha Daniel e Miriam. Eu aceito sim trabalhar com vocês. Já da para ver que a intenção de vocês é a melhor possível.
¾    Então seja bem vinda. Aqui não tem assinatura em contrato. Aqui vale a palavra de cada um.
¾    Incrível. E se eu estiver mentindo e meus interesses forem diferentes do que eu declaro?
¾    Vai descobrir que a mentira aqui teria perna curta. Seria descoberta imediatamente. Mas deixemos isto para lá, você esta sendo sincera.
¾    Só uma perguntinha. Como eu me refiro a Dionizio? Ele disse, e você confirmou, que ele é um robô. E eu presenciei ele caminhando na lua sem equipamentos. Então...?
¾    Se refira a ele como se referiria a um amigo seu. Vai descobrir que não tem pessoa melhor. Ele não mente, não trai, não trapaceia... é a pessoa que quero ter ao meu lado nas horas de dificuldade.
¾    Pessoa? É um robô. Não uma pessoa.
¾    Defina pessoa?
¾    Alguém que tem vida, sentimentos, personalidade, etc.
¾    Dionizio pensa, aprende, é meu amigo. Ele não sente saudades, não sente aflição, não se cansa de esperar. Ele esta vivo, pois se acontecer algo de terrível que venha a destruí-lo ele estará morto. Então, pelo menos para mim, ele é uma pessoa.
¾    É difícil entender...
¾    Deixe eu tentar, Daniel. Veja, Linda, se você sofrer um acidente e perder as pernas e algumas partes do corpo ficarem desfiguradas.
¾    Sim?
¾    Agora você ganha pernas mecânicas como as do Dionizio. Recebe pele artificial. Alguns ossos do corpo são substituídos por platina. Você deixa de ser uma pessoa?
¾    Não. Mas eu sou um ser humano por natureza.
¾    Então se houver criaturas, seres inteligentes neste universo, por não serem humanos, não podem ser considerados pessoas?
¾    Bem, não sei te dar uma resposta. Acredito que se tiver. Sim, são pessoas, mesmo sem serem humanos.
¾    Então é isto. Existem seres que não são humanos. Aceite isto e será mais fácil aceitar um robô inteligente.
¾    É. Compreendi.
¾    Eu tenho um robô configurado para ser “uma jovem”. Ela é minha amiga e confidente.
¾    Que legal. Igual Dionizio?
¾    Sim. Você vai conhecê-la.
¾    Bem, Linda. Chegamos. Esta é a sala de controle. Entrem por favor.
¾    Que lugar incrível. Não tem ninguém aqui?
¾    Tem um Coordenador que toma conta de tudo. Se tiver problemas temos robôs técnicos a disposição.
¾    Mas, pessoas de carne e osso? Não?
¾    Não. Mas o Deca e o cabo Reginaldo fazem desta unidade praticamente seu lar. Daqui saem para conhecer outros planetas e dar umas voltinhas no espaço aberto. Ele foi avisado de minha chegada e esta vindo.
¾    Vivem aqui sozinhos.
¾    Logo mais terão companhia. Quero suprir de seres humanos estas bases. Estão sendo requisitados e treinados.
¾    Legal. Viver no espaço. Mirian, e você? Vive onde?
¾    Minha residência é praticamente a Base da Montanha. Mas em qualquer base tenho um lugar reservado para mim. Estou sempre com minha amiga, Margareth. Minha robozinha querida. To sentindo falta dela aqui.
¾    Poxa. Que loucura essa vida de vocês. Eu nem sonhava que existia um modo de vida deste jeito. Tenho de me readaptar.
O coordenador deu sinal de vida.
¾    Bom tarde Daniel, Mirian e convidada. O capitão Deca acaba de chegar. Avisa que trás novidades.
¾    Boa tarde. Coordenador. Esperarei ele aqui. Esta é a Senhorita Linda Maniet, é uma repórter jornalista. Vai trabalhar conosco.
¾    Seja bem vinda senhorita Linda Maniet.
¾    Só Linda, por favor. Onde você esta? Em outra sala?
¾    Estou em todas as salas. Eu sou o Coordenador, praticamente, sou a Estação EESM1.
¾    Já era para ter parado de me espantar. Mas não da. Uma surpresa atrás da outra. É novidades demais para uma simples repórter.
¾    Linda, acostume-se depressa a uma nova rotina. Ou vai ficar de cabelos brancos.
¾    É Mirian, não sei como você consegue.
¾    Coordenador, entre em contato com a Base da montanha e peça para a Margareth vir ate aqui. Por favor.
¾    Será feito com muito prazer. Dona Mirian.     
¾    Olha, só. Vou conhecer sua Margareth.
¾    Ela é lindíssima. Você vai ver.
Entra algumas pessoas na sala.
Uma delas da um grande abraço em Daniel.
Daniel as apresenta.
¾    Marechal Deca. Esta é a senhorita Linda Maniet. Vai trabalhar conosco. Este é meu amigo Deca.
¾    É um prazer, senhorita. Não é sempre que vejo um rostinho bonito fora a Mi.
¾    Lisonjeiro. O prazer é meu. Marechal?
¾    É. Agora é. Só eu não sabia, rsrsrsr.
¾    É que, se vamos tripular algumas Estações. As naves serão utilizadas. Então teremos de acertar os postos de comando. E você, meu amigo, é meu braço direito.
¾    Este, Linda é o Major Reginaldo. Trabalha direto com o Deca.
¾    É um prazer, senhorita. Seja bem vinda.
¾    Agradeço. O prazer é meu.
¾    Então fui promovido. Obrigado Daniel.
¾    Você merece. Tem feito um grande trabalho junto com o Deca. E tem gente vindo ai.
¾    Este é o Pingo. Para evitar surpresa, ele é o robô do Deca.
¾    Ele é diferente. É grande. Parece um militar.
¾    É que eu gosto dele assim. Como posso precisar de defesa de uma hora para outra. Tenho um robô de combate personalizado. Fluente nas línguas da Terra. Armado de laser e desintegrador nos dois braços. Pronto para qualquer coisa. É assim o Pingo.
¾    Ele é realmente incrível.
¾    Obrigado senhorita Linda Maniet.
¾    Chamem-me de Linda, por favor.
¾    Então, Deca. O coordenador me disse que tem novidades. Quais são?
¾    Estive no planeta Cristaliun, as coisas estão indo bem por lá. Temos dado uns rôles por ai. Descobri até um planeta que tem atmosfera respirável para nós. E não é longe.
¾    O Coordenador me disse. Onde fica? O coordenador não conhecia?
¾    Não sei. Eu acabei de voltar. Não passei os dados ainda.
¾    Da licença. Marechal Deca. O senhor esta dizendo que tem um planeta que serve para nós? Tem oxigênio, agua e todas as condições de vida?
¾    Sim. Tem uma gravidade um pouco maior, mas da para aguentar bem. E com o tempo se acostumar a ela. E tem vida no estagio selvagem. Não há vida inteligente ainda. Pode vir a ter. mas no momento, não.
¾    Deu um nome a ele?
¾    Sim. Planeta Danny. Quinto planeta de uma gigante azul. O Sistema é o Sistema Danny. Fui o primeiro ser inteligente a pisar nele. Eu acho. Vamos descobrir isto perguntando ao Coordenador.
¾    Vamos.
¾    Daniel?
¾    Pode falar, Linda.
¾    Todos iremos passar a noite aqui na Estação?
¾    Sim. Por que? Havia algum compromisso?
¾    Bem, eu não sabia disto, então não avisei ninguém em casa. Tenho de avisar a senhora que cuida de minha mãe. E pedir que ela durma lá em casa hoje.
¾    Se quiser voltar para casa. Dionizio te leva.
¾    Não é isso. Só tenho de ligar para elas.
¾    Mirian, trate disto por favor.
¾    Venha comigo Linda. Vou te levar onde possa ligar  para casa.
¾    Obrigada. Já volto.
Saíram e foram a sala de radio.
¾    Daniel, ela se chama Linda e realmente é linda.
¾    Concordo com você, notei um pouco de ciúmes na Mi. Mas não a olho com esses olhos. Vejo a profissional...
¾    Eu não preciso me preocupar com ciúmes de ninguém. O Pingo não se importa, rsrrsrss.
¾    Sorte sua. Quero me casar com a Mi. Que acha?
¾    Legal. Vou ficar feliz por vocês. Já a pediu?
¾    Não achei oportunidade ainda, mas vou.
¾    Legal. Serei o padrinho.
¾    Com certeza. Coordenador.
¾    Fale Daniel.
¾    Puxe as coordenadas do computador de bordo da nave do Deca. Verifique se o planeta em questão e o sistema já eram conhecidos. Se existe alguma restrição ou perigo.
¾    Farei isto agora mesmo. Mais alguma coisa?
¾    Não.
Daniel, Deca, Reginaldo e pingo foram ao refeitório mas deixaram recado para Dionizio levar as meninas para lá assim que voltassem da sala de radio.



























CAPITULO VIII

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog