As Historias de Daniel B. Vol.2 cap. 10

Se esta conhecendo agora aconselho a aler os capitulos anteriores para entender o enredo.
Se ja é leitor. Deixe um comentario e divulgue para os amigos.


CAPITULO X


Foram a Base de Plutão e de lá para a Terra.
Na Base da montanha.
¾     Bem pessoal. Este é outro passo para a consolidação de nossos planos.
¾     Quer que fiquemos também Daniel?
¾     Não, mamãe. A senhora e a Mi estão com seu treino atrasado. Papai e Deca já fizeram o treino deles. Se preparem para o de vocês. Quando terminar a reunião o treino terá acabado também. Ai partiremos para uma nova etapa.
¾     Qual é?
¾     A reunião com o governo do Estado e posteriormente do País. E futuramente na ONU.
¾     Logo, logo estaremos lá.
¾      Vamos Daniel, o Gigante esta alertando que o pessoal convidado já esta se reunindo no local onde serão recolhidos.
¾     Deve ser estranho para eles termos marcado para se reunirem nos arredores de uma clareira. Mas só assim para que pudéssemos trazer a todos de uma só vez.
¾     Gigante. Pode nos mostrar a imagem da clareira?
¾     Sim.
¾     Reuniram-se cerca de vinte pessoas.
¾     Deixe-me vê-las. Ali vejo o tenente Furlan. Vejo o Capitão Martinez, a mulher ao lado dele deve ser sua esposa. Ali o Dr. Mateus e ao seu lado deve ser a esposa, um casal de médicos missionários. O casal ao seu lado eu não conheço, ele falou por telefone que iria trazer eles. O capitão Martinez do Corpo de Bombeiros e com certeza sua esposa. O cabo Reginaldo que nos serviu de guia também bombeiro. Veio a convite de seu superior. E mais alguns convidados. Também tem outros que eu não conheço.
¾     Aquele ali eu conheço é o Dr. Tonny Jonnes e sua esposa, o nome dela é Magda Jonnes. São da minha vila. Alguém deve tê-los convidado.
¾     Falta alguém?
¾     Parece que não. O horário esta em cima.
¾     Dionizio, vá busca-los.
¾     Sim.
Dionizio sai e volta em 20 minutos acompanhado dos convidados.
Leva-os a sala onde estavam sendo esperados.
Anuncia sua chegada e entra. Pede que se acomodem.
Daniel e o major Edwardo entram por outra porta.
Todos se levantam.
¾     Sejam bem vindos. Esta é uma de nossas Bases.
¾     Obrigado capitão Edwardo. Pelo que vejo o senhor reuniu aqui uma equipe bem forte dentre militares e médicos. Engenheiros e químicos.
¾     Sim, é verdade. Mas permitam corrigir algo. Já não sou mais o capitão Edwardo do Corpo de bombeiros mas agora sou o major Edwardo do grupo Bombeiros de Elite.
¾     Foi promovido de capitão para major, impossível.
¾     Não é isso. Eu dei baixa e agora trabalho para os Bombeiros de Elite. Uma organização a parte.
¾     Entendemos. Já os vimos em ação. Ao vivo ou pela televisão. Por isso estamos aqui.
¾     Senhores e senhoras.  Vocês estão aqui para algo muito maior. Mas antes quero apresentar o mentor de tudo isto. Daniel, meu superior imediato e chefe de tudo isto aqui.
¾     Mas é um garoto? Como?
¾     Não vou explicar agora, basta saber que é. Ele tem a sua disposição duas bases fixas. Esta aqui e outra nos fundos, ou melhor, no subsolo do oceano Pacifico. Ainda maior que esta. Os robôs que os senhores já viram em ação. Os planadores. Naves do tipo da que me ajudou na avalanche. Exoesqueletos que aumentam sua força física em muitas vezes. E podem te fazer voar.
¾     Olha major. Eu vi pela internet mas gostaria muito de ver essas coisas ao vivo e a cores. É fantástico demais para crer assim e assado. Quero ver e tocar.
¾     Verá e tocará. E mais. Se for aprovado usará tudo isto em suas campanhas para salvar vidas.
¾     E nós, major. Que utilidades tem para nós médicos, cirurgiões, químicos. Engenheiros. Ninguém aqui sabe combater incêndios.
¾     Sabem muito mais do que imaginam. Podem ser o futuro presente da raça humana. Daniel...
¾     Deixe que eu falo, major. Depois te devolvo a palestra.
¾     Á vontade.
¾     Senhores e senhoras. Os militares já trabalharam com minhas equipes e puderam ver a diversidade dos nossos recursos. Alguns médicos também.    
¾     Sim, mas em que seremos uteis aqui? Essa é a questão.
¾     Já vou explicar. Eu não tenho só estas duas bases.
¾     Não? Tem mais? Quantas. Onde?
¾     Mais de vinte. E preciso por todas elas em uso. Necessito de pessoas que queiram melhorar o nível de vida da raça humana técnica, moral e economicamente. Posso abrigar cerca de cem mil pessoas. Pode ser até famílias inteiras.
¾     Isso é absurdo. Como? E a alimentação? Acomodações? Sustento não é só comida.
¾     Eu sei. Mas quem merecer terá alimentação garantida, vestimentas, transporte, dinheiro e treinamento avançado.
¾     Onde?
¾     Em qualquer uma das Bases. Mas estou construindo uma que poderia guardar todas as outras nos seus depósitos.
¾     Isso é impossível. Você disse serem mais de vinte...
¾     Na hora certa vocês verão. Ou melhor, irão até elas. Mas deixe-me falar dos médicos, cirurgiões, químicos, engenheiros outros profissionais que ainda estão por vir. Quero oferecer medicina gratuita e medicamento também. Escolas técnicas de qualidade grátis. Desenvolvimento profissional. Tudo o que o povo sempre sonhou. E mais, segurança sem risco. Habitação para todos os povos. Alimentação garantida. O ser humano já sofreu demais. É hora de crescer e viver bem.
¾     Isso é fácil de dizer, até é bonito. Mas fazer... é impossível.
¾     Para a técnica nada é impossível.
¾     Me de um exemplo, por favor, Daniel, se podem chama-lo assim.
¾     Podem e devem. Sou uma pessoa muito simples. Não gosto de títulos.
¾     Esta bem, pode dar o exemplo?
¾     O que é impossível ao homem? Voar? Dionizio. Levante voo.
¾     Aqui dentro? Esta bem.
Dionizio flutua de um lado ao outro da sala. E levanta uma das pessoas presente.
¾     Esta bom Dionizio, obrigado. Viram, isto é tecnologia.
¾     Já vimos vocês em ação antes. Mas as coisas que esta propondo aqui e agora, são mirabolantes.
¾     Mas podem ser reais, acreditem. O major aqui já duvidou também. Major.
¾     É verdade. Quando o Daniel me convidou para vir a ele eu fiquei meio cético. Até comentei com minha esposa. O que será que querem comigo. Mas vim assim mesmo. Se eu lhes contar a fundo tudo que tenho visto e feito desde então vocês não vão acreditar.
¾     Bem, capitão, quero dizer, major. Nós, quase todos te conhecemos, sabemos que não é homem de brincadeiras. E dona Renata esta ai ao seu lado. E ela é pessoa dura na queda. Uma sumidade em medicina. Aqui creio que todos a conheçam. Não aceitaria passar por uma brincadeira. Dona Renata. Nos fale algo.
¾     Boa tarde, amigos. Eu já assisti a uma reunião deles. Tudo que eu não sabia perguntava. O Daniel sempre sucinto em responder a todas as minhas questões. Já fui em algumas das Bases dele. Quero acrescentar, quando você entra para a equipe. As bases não são mais dele. São nossas. Você passa a fazer parte de tudo que lhes esta sendo proposto. E se quiser trabalhar única e exclusivamente numa linha de desenvolvimento. Assim será. Pedirei ao Daniel que permita leva-los a uma base fora daqui. Ainda não direi onde é para não levantar ceticismo, esta reunião é seria e tudo o que esta sendo proposto aqui deve ser levado a sério. Não estamos brincando. Eu já fui até onde será a futura Base Sandra. É a base gigante a que ele se referiu. Creiam, ela existe, ou melhor, ainda esta sendo construída. Mas já estive lá.
¾     Obrigada dra. Renata. Com suas palavras as mulheres que estão aqui ficam, apesar de ainda chocadas, mas mais tranquilas. Daniel. Eu e meu marido estamos dentro. Foi ele que me convenceu a vir aqui conhece-los. Mas nunca fugimos de uma boa briga. Estamos nessa. Certo querido?
¾     Certíssima. Major. Eu agradeço por ter se lembrado de mim.
¾     Nunca abriria mão de vocês.
¾     Eu e minha esposa também gostaríamos de manifestar nosso parecer positivo. Também vamos fazer essa tentativa.
¾     Obrigado pelo apoio. E os demais?
¾     Todos aqui vieram de coração aberto para somar. Vamos fazer esta tentativa.
¾     Obrigado. Bem, a dra. Renata pediu para leva-los a uma Base. Qual será dra Renata?
A doutora Renata se levantou e cochichou no ouvido de Daniel.
¾     Quero leva-los a lua ou a Plutão. Escolhe. Até mesmo a uma Base Espacial.
¾     Esta certo.
Falou a todos.
¾     Senhores e senhoras. A doutora me pediu para leva-los a uma base. Então vamos. Quem quiser ir me acompanhe.
¾     Todos irão com certeza.
Todos seguiram a Daniel e ao major.
Daniel foi á sala de teletransporte.
Explicou que seriam levados para cima. Mas não explicou que era para uma Base Espacial.
¾     Vamos em grupos. O primeiro grupo de seis pessoas vai comigo. O segundo com Dionizio. E o ultimo seguira com o major.
¾     Tudo certo. Pode ir.
Daniel selecionou os casais médicos e seguiu. Entraram na área de segurança e Daniel acionou a chave.
Imediatamente surgiram na Estação Espacial de Saturno.
Imediatamente surgiram e choveram as perguntas.
¾     Onde estamos? O que houve?
¾     Eu lhes trouxe a uma Base Espacial que esta nas cercanias de Saturno. Mas vamos esperar os outros chegarem.
O segundo grupo chegou. Todos estavam meio assustados. E de novo as perguntas. A resposta foi a mesma.
O terceiro grupo chegou em instantes. De novo as perguntas.
¾     Agora sim. Responderei a todas as perguntas.
¾     Onde estamos?
¾     A pedido da dra Renata lhes trouxe a uma Base. Esta Base Espacial esta nas vizinhanças de Saturno. Temos uma Base Espacial nas vizinhanças de todos os planetas, até mesmo da Terra.
¾     Estamos no espaço? Serio?
¾     Sim, cabo. Estamos em uma Estação Espacial. Tem quatro que estão ao redor do Sistema Solar. A de Plutão faz parte deste conjunto. São doze estações ao todo aqui no Sistema Solar.
¾     Eu sabia que aqueles conjuntos de comando eram diferente de tudo que eu conhecia. E na Terra? O que tem lá?
¾     Uma na lua. E seis espalhadas pelos continentes.
¾     E como ninguém nunca soube disto?
¾     Estão todas escondidas. Não quero curiosos mexendo onde não devem.
¾     Daniel, onde esta Saturno.
¾     Coordenador. Aponte uma tela por favor.
Imediatamente uma tela se acendeu. E uma voz mecânica falou.
¾     Sejam bem vindos. Se precisarem de alguma coisa. Estou á disposição.
¾     Quem falou isso?
¾     É o celebro eletrônico desta Base. Todos se chamam Coordenador. Vocês não tem como imaginar a quantidade de recursos de que ele dispõe.
¾     Por exemplo?
¾     Caças espaciais. Robôs de combate. Naves auxiliares. Fabricas de peças de reposição e de pequenas naves. Fabricas de robôs de todos os tipos. Lugares de recreação que imitam a superfície da Terra, com arvores e matas de todo tipo. Acomodações para duas mil pessoas. Etc.
¾     É muita coisa. Todas as bases são assim?
¾     As planetárias, sim. As Siderais são três do mesmo tamanho e uma Master de porte muito maior que esta.
¾     Maior que esta. Caramba.
¾     É por isso que você disse dezenas de milhares.  
¾     Agora podemos acreditar na base gigante. Base Sandra.
¾     Já viram ali, Saturno? Temos câmeras sobrevoando muito mais perto dele. Elas poderiam até mesmo pousar nele ou em um dos pedaços maiores de pedras de seus anéis.
¾     Vou mandar Dionizio lhes mostrar um pouco da Estação. Ele esta capacitado a responder qualquer pergunta. Eu preciso ficar aqui um momento a sós.






















CAPITULO XI

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog