As Historias de Daniel B. vol1 cap. 7

obs: Leia os capitulos anteriores primeiro.





CAPITULO VII

¾     Olá, porque pediram para que eu viesse para esta base?
¾     É que estamos para fazer um teste.
¾     Sim, querida e queremos que participe conosco.
¾     E o que seria?
¾     Esta vendo estas naves, mamãe?
¾     Sim, claro, são enormes, e?
¾     Não são enormes, são pequenos barcos de navegação dentro do sistema solar. Só servem para viajar dentro do sistema solar, e estamos nos preparando para testar esta que esta sendo abastecida.
¾     Vão voar nesta coisa?
¾     Sim, vamos e gostaríamos que viesse conosco.
¾     É seguro mamãe. Confie em mim.
¾     Em você eu confio. Neste trambolho é que não.
¾     É que seu treinamento ainda esta meio defasado. Senão já saberia lidar com elas.
¾     E esta base? Já tinha estado aqui antes?
¾     Não.
¾     E o Celebro robô daqui permitiu que você usasse essa nave?
¾     Querida. O Coordenador daqui, como o celebro robô se denomina, entregou o comando da base nas mãos de Daniel. Nosso filho pode fazer aqui dentro o que ele quiser.
¾     Como assim?
¾     Aqui é uma imensa fabrica de robôs, maquinas e naves. Tem hangares de naves de todos os tamanhos. Aqui esta guardada a nave intergaláctica que trouxe o povo que criou tudo isto aqui. Sim, ela esta aqui, e é enorme.
¾     Mamãe, aconteceu, e temos de ficar felizes por ter sido conosco e não nas mãos de pessoas inescrupulosas. Elas, se pudessem, tirariam proveito para si mesmas e não para a humanidade.
¾     Vai conosco querida?
¾     Sim, vou. Pelo menos se morrer, morre todos juntos e ninguém fica sofrendo de tristeza.
¾     Ninguém vai morrer mamãe. Pode ter certeza disso.
¾     Esse é nosso guia aqui na base. Porem ele vai conosco na viagem.
¾     Podemos embarcar?
¾     Sim. A nave esta acabando de ser checada e esta toda abastecida. Era apenas um voo de reconhecimento e teste, mas mesmo assim o protocolo de segurança exige que ela esteja com toda a guarnição e totalmente abastecida como se fosse passar um mês no espaço.
¾     Tanto assim?
¾     Nunca subestime a segurança. O Coordenador já lhes avisou.
¾     Vamos subir.
¾     A proposito mamãe, gostou de viajar milhares de quilômetros através do tele transporte?
¾     Milhares de quilometro? Pensei que tinha atravessado uma porta ou um elevador. Nem percebi. Onde estamos?
¾     No fundo do oceano Pacifico.
Todos riram de dona Sandra.
Embarcaram. Fizeram o reconhecimento padrão. Viram os luxuosos aposentos, viram o refeitório. Foram á sala de comando.
¾     Pequena, mas da para o que pretendemos.
¾     Dionizio, prepare a pré decolagem.
¾     Sim. As maquinas já estão sendo aquecidas. Os preparativos e testes já haviam sido feitos pela equipe de robôs de manutenção.
¾     Transmita ao Coordenador que partiremos assim que ele liberar a decolagem.
¾     Esta feito.
¾     Coordenador liberando partida. Podemos sair.
A pequena nave foi arrastada por um raio trator ate a uma comporta de saída. Atrás dela uma porta enorme se fechou. A comporta se encheu de agua. Daniel e todos a bordo se lembraram de que estavam no subsolo do Oceano Pacifico. E não no espaço exterior.
A pressão interna se igualou a externa.
A segunda comporta se abriu e o oceano estava aberto para aqueles destemidos viajantes.
Os motores foram ligados e a nave se pôs a deslocar-se nas aguas submarinas.
¾     Vamos dar uma olhada no fundo do oceano primeiro antes de decolar.
¾     Como quiser.
¾     Ilumine os arredores.
Era tão fundo que quase não havia o que ver, mas não deixava de ser excitante ver esse lugar tão pouco explorado e contaminado pelo homem.
¾     É lindo aqui em baixo.
¾     Subam devagar.
A medida em que iam subindo, as cores mudavam. Mudavam também as formas de vida.           
¾     Continuar subindo.
E logo...
¾     Estamos perto da superfície.
¾     Assim que chegarmos a superfície decole imediatamente.
¾     Usaremos camuflagem ante radar.
¾     Sim. Não quero que o mundo se assuste. Ainda não é hora.
Atingiram a superfície e decolaram. Não sentiram nada. Maquinas potentes compensaram a aceleração neutralizando a força da gravidade.
¾     Tudo esta indo perfeitamente.
¾     O planeta Terra ia se distanciando.
¾     Estaremos alcançando o limite de nossa atmosfera em instantes.
¾     Vejam já podemos ver toda a extensão do planeta. Não é lindo.
¾     Sim, mamãe. É de tirar o folego.
¾     Qual o itinerário?
¾     Vamos ver a lua.
¾     A lua? Vamos pousar?
¾     Talvez. Dionizio, relatório?
¾     Tudo esta em ordem. Não foi gasto nada além do normal em uma decolagem. Todos os sistemas operantes.
¾     Guia. Mande trazer trajes espaciais. Talvez eu desça no nosso satélite. Alguém quer ir comigo, além de Dionizio?
¾     Irei com você. Meu filho. Esse é um sonho que muitos homens trazem de berço. Hoje vou realiza-lo.
¾     Tomem cuidado. Fique tranquila, Dionizio já mandou fazer uma sondagem. É padrão de segurança, então nem preciso pedir. Ele o faz automaticamente.
¾     Correto, Daniel. Este é o padrão. Levaremos cerca de meia hora para aterrissar na lua      
¾     Daniel.
¾     Fale mamãe.
¾     Que pretende verificar na lua?
¾     O lado escuro. Aquele que ninguém pode observar.
¾     Então vou com vocês.
¾     Dionizio.
¾     Sim.
¾     Qual seria a dificuldade de se fazer uma cúpula energética na lua e depois a prover de ar?
¾     Eu não tenho uma resposta. Posso perguntar ao Gigante ou ao Coordenador?
¾     Sim. Entre em contato via radio. Eu faço as perguntas. O guia se incumbiu da tarefa. E entrou em contato com o Coordenador.
¾     Daniel, o Coordenador esta aguardando.
¾     Olá, Coordenador. Vou te repetir a pergunta feita ao meu primeiro guia.
¾     Sim?
¾     Qual a dificuldade de fazer uma cúpula energética na lua e depois a encher de oxigênio? A ponto dela suportar vida orgânica?
¾     Nenhuma.
¾     Explique. Deve haver dificuldades de transporte de material. Equipamentos, etc,...
¾     Nenhuma, já que esta cúpula já existe.
¾     Já existe? Como assim? O nosso guia não soube dizer nada a respeito.
¾     Somente nós, os Coordenadores, estamos informados destas cúpulas extra terrenas. Ou seja, fora do planeta.
¾     Então ela já existe. Como posso ativa-la?
¾     Eu a ativarei daqui mesmo.
¾     Me mande um código de liberação. Não quero ser abatido sem necessidade.
¾     O Coordenador da lua já esta informado de sua chegada. Enviei a seu computador central, o da nave, o código de acesso. Mas mesmo assim, ele os teria reconhecido logo que sua nave chegasse no perímetro.
¾     Como?
¾     Ela irradia um sinal continuo de identificação.
¾     Você já foi captado pelo Coordenador da lua. Ele esta a sua espera.
¾     Obrigado.
¾     Deixe no comando automático que a nave será deslocada e pousada por raio trator.
¾     Estou de acordo. O Coordenador daqui não estava em stand by também?
¾     Sim. Mas quando uma nave fura as camadas exteriores do planeta Terra um alarme soa na base lunar. Este alarme fez com que a base entrasse em prontidão, para se defender, se preciso for.
¾     Já estamos sendo arrastados pelo raio trator. Estamos entrando em alunissagem.
¾     Serão engolidos por um alçapão, que se fechara em seguida.      
¾     A cúpula esta vazia de oxigênio. Portanto ela não terá de fazer adaptações. Levem equipamentos para voo.
Pousaram e o Coordenado entrou em contato. Foi cortes e duro ao Mesmo
¾     Obrigado pelo apoio.
¾     Só fiz minha obrigação. Sua nave estava emitindo sinal de chegada. Eu somente a recebi.
¾     O que querem?
¾     Não queremos nada, a priori
¾     Só quero conhecer a base.
¾     Depois que vocês descerem mandarei que a cúpula seja enchida de oxigênio.
¾     Já vamos descer.
¾     Venham com os trajes fechados. Esta havendo dificuldades para encher o hangar de oxigênio.  
E o Coordenador explicou estar havendo um pequeno problema, mas será corrigido imediatamente.
¾     Que problema é este?
¾     Mecânico e eletrônico.
¾     Motivado pela falta de uso?
¾     Sim. Mas meus mecânicos estão a caminho. E a solução será dentro de minutos.  
¾     Não esqueçam, saiam com traje protetor fechado ate atravessar a comporta.
¾     Meus robôs também poderão te ajudar.
¾     Aceito o auxilio.
Atravessaram a comporta externa. Esperaram a sala ser cheia de ar. Atravessaram a segunda comporta que os introduziria na base propriamente dita.
O coordenador lunar entrou novamente em contato.
¾     Sejam bem vindos. Aqui dentro já podem abrir seus trajes.
Abriram e sentiram uma temperatura ambiente agradável.
Daniel inquire.
¾     Responda-me uma pergunta.
¾     Sim.
¾     Que o coordenador da base no Pacifico saiba meu idioma, é aceitável. Mas e você? Como sabe minha língua?
¾     O Mestre já se encarregou de transmitir a todos os Coordenadores das bases seu código de identificação, seu idioma, preferencias ambientais. Também nos instruiu sobre alimentação. Como vê já estarão sendo recebidos em todas as outras bases no sistema ou fora dele como convém.
¾     É, eu já deveria ter adivinhado.
¾     Me conduza a sua presença.
¾     Um robô já esta se encaminhando e lhes trará ate aqui.
¾     Grato.
¾     Posso lhe fazer uma pergunta?
¾     Sim.
¾     Vocês são descendentes dos criadores?
¾     Não sei te responder a esta pergunta.
¾     Saberei quando vocês chegarem aqui.
¾     Faz alguma diferença para você?
¾     Toda a diferença. Mas eu espero vocês.
Daniel sentiu um frio percorrer sua espinha. Algo tilintou em seu celebro.
Os companheiros dele também não gostaram da pergunta do Coordenador Lunar.
O robô chegou. Não era um robô técnico. Era antes um robô de combate.
Daniel sentiu nisto uma espécie de ameaça. Será que o Coordenador Lunar estava duvidando da assertiva do Mestre, o Celebro Eletrônico, da montanha. Mas resolveu aguardar e não alarmar o grupo.
Seguiram o guia de mais de dois metros e meio de altura e um de largura.
¾     Este Coordenador não esta demostrando muita felicidade em nos receber.
¾     Não se preocupe, papai. Tudo sairá bem.
Atravessaram inúmeros corredores. Traziam Dionizio consigo. Daniel lhe perguntou se ele tinha notado algo de diferente no Coordenador Lunar. Certa relutância em recebê-los, e se não, que ficasse atento a qualquer impulso hostil que fosse transmitido pelo Coordenador.
¾     Estou atento. Mas essa forma de recepção é normal. Ele precisa de estar em sua presença para poder ler seu código de acesso pessoal. Só então poderá ter uma visão geral do conjunto.
¾     Mas, ..., deixe quieto, após conversarmos frente a frente tiraremos as duvidas, as dele e as minhas.
¾     Correto.
Pegaram um elevador e desceram mais dois andares.
Após entrarem num corredor lateral de teto muito alto estariam na sala do Coordenador.
¾     Com certeza é aquela sala no final do corredor.
¾     Também acho.
Entraram e tiveram a certeza.
O Coordenador estava sendo revisado. Por robôs técnicos.
¾     Bem vindos. Não se importam que eu esteja em manutenção enquanto conversamos, sim?
¾     De maneira alguma. Todos os Coordenadores estão fazendo as devidas correções, check-ups. Estão em stand by á muito tempo.
¾     Correto. Este é o motivo.
¾     E o concerto da cúpula e da vedação da comporta exterior?
¾     Esta sendo providenciado. Ainda não encontraram o motivo. O da comporta exterior parece ter sido um pequeno meteorito que causou o defeito. Não se sabe quando. O da sala do hangar ainda estão avaliando.
¾     Esta base é de imenso valor estratégico. Não deveria haver proteção contra artigos externos?
¾     Nós temos. Houve algumas falhas causadas pela ausência de técnicos em operação. O Mestre deve ter-lhe explicado o que aconteceu.
¾     Como assim? O que aconteceu? Conversei muito com o Gigante, mas não me recordo dele ter me falado de algum acidente na Base Lunar.
¾     Não é a isto que me refiro. Primeiro defina, quem é Gigante?
¾     A, sim, é o modo como me refiro ao Celebro Eletrônico da Montanha.
¾     Entendo. Registrado. Agora. O que aconteceu não foi um acidente na Base Lunar. Mas somente o Mestre poderá te dar esta resposta. É geral a todas as bases.
¾     Entendi. Mas eu só vim mesmo para treinar o manejo da nave.
¾     Gostaram da eficiência do equipamento?
¾     Sim. Ela nem foi notada ao sair do planeta Terra.
¾     Nem será ao regressar. Porem se desejarem deixa-la aqui estacionada nos meus hangares, podem regressar através de tele transporte.
¾     O seu tele transporte é potente?
¾     Um dos maiores tele transportes do nosso sistema solar esta aqui. Só perde em potencia para o do ultimo planeta. Estarei fazendo levantamento de informações sobre a atualidade para saber como me referir aos planetas do sistema. E também estarei monitorando os canais de transmissão e redes de informações. Em pouco tempo que estou de volta a atividade e já captei imensas transformações. Quero estar a par de tudo que houve no planeta principal, como você diz, a Terra, e nos demais planetas. Países, culturas, sistemas de governo, sistemas econômicos, em fim, todas as transformações do mundo atual.
¾     Realmente vai ter muita coisa para armazenar de informações.
¾     Pela informação do Mestre estes são seu pai e sua mãe. Este é o robô técnico que foi posto a seu serviço. Tenho modelos mais eficientes aqui. Se quiser troca-lo.
¾     Não. Eu quero permanecer com este modelo. Estou habituado com ele.
¾     Fique a vontade.
¾     Já fez as analises que desejava? Fui aprovado?
¾     Você não é nenhum tolo. Sabia que estava sendo submetido a analises mas mesmo assim não demostrou nenhum receio. O Mestre realmente soube analisar a situação e o escolhido por ele. Mas sua analise estrutural traz muitas variações dos registros dos criadores. Não sei como adapta-las a meus registros.
¾     Eu sei. Aceite a analise e ordem do Mestre.  Me aceite ou então terá de dormir de novo por sabe-se lá quantos milhares de anos... se o meteorito que lhe atingiu fosse maior você estaria todo destruído e nós não estaríamos tendo esta conversa. É melhor estar em atividade a meu serviço e em parceria com os outros Coordenadores do que ficar dormindo em stand by por miríades sem fim.
¾     Suas afirmações tem razão de ser. Foram registradas e analisadas. O Mestre teve razão ao te escolher. O problema que afirmei no inicio era este. Todos os coordenadores que não estiverem a serviço de um ser biológico, no caso seriam os criadores, entrarão no processo de espera em stand by ou terão de se auto destruir se sentirem algum perigo de violação externa.
¾     Imaginei que era esta sua situação.
¾     Quero que saiba que você foi aceito por mim. Mas não pense que todos os Coordenadores irão concordar prontamente. Prepare-se para a rejeição por parte de alguns. Vou me esforçar para que todos te recebam. Já somos três.
¾     Obrigado.
¾     Vou mudar seu robô acompanhante. Mandarei um robô técnico para lhe mostrar a base e o robô de combate ira junto para intervir em alguma situação que eu não possa antever, não sei como esta o interior de toda a base. Fiquem livres para conhecer tudo.
¾     Irei verificar tudo e me mantenho em contato contigo. Meu transceptor esta ativo.
¾     Já o sincronizei. O técnico também poderá servir de intermediário para informações.
¾     Quero ver primeiro suas salas de tele transporte.
¾     Assim será. Seu acompanhante chegou. A proposito o defeito da cúpula energética externa foi encontrado e será sanado. Quando você aterrissar ou mesmo quiser sair da base e ver como seria viver lá fora, já será possível. A estrutura estará pronta.
¾     Numa próxima visita verei isto.    
Um robô flutuante parecido com Dionizio entrou.
¾     Este será seu acompanhante de agora em diante aqui na base. E se quiser poderá leva-lo consigo quando for embora. Fique a vontade para decidir.
¾     Obrigado.
Saíram e foram pelos imensos corredores ate a sala escolhida por Daniel.
No caminho seus pais puderam respirar de novo, estiveram em situação de grande medo.
¾     Filho, porque este Coordenador agiu desta forma?
¾     É natural. Todos eles tem um certo grau de independência. Todos eles são dotados de capacidade de aprender. São eletrônicos porem tem liberdade de escolha até certo grau. Depois de feita a escolha não tem volta.
¾     Entendi. Então quer dizer que definitivamente você foi aceito pelos coordenadores da montanha, do Pacifico e agora pelo lunar.
¾     Correto. Se bem que no caso do Gigante, foi ele quem me escolheu. Eu nem teria chance de nada sem que fosse por interferência dele.
¾     Ele fez uma ótima escolha.
Dionizio não demostrava ciúmes algum de que o Coordenador Lunar ter indicado um novo guia para eles. Ele sabia de suas atribuições.
O guia os levou alguns andares abaixo e chegaram a uma sala de teto bem alto.
Ele explicou ao ver a cara de espanto dos pais de Daniel.
¾     E necessário toda esta altura para que os geradores imensos e de grande porte possam ser rapidamente resfriados. No momento os tele transportes não estão sendo usados mas no caso de uso frequente eles exigem muita energia.
¾     Daniel, aquele transmissor maior que os outros não te chama a atenção.
¾     Sim. Robô. Este tele transporte pode atingir ate onde?
¾     Não sei o total de seu alcance, mas posso te afirmar que pode chegar ate os limites de seu sistema solar.
¾     Todo o sistema solar. Incrível.
¾     Aqui não se para de ver o inimaginável.
¾     Nos meus treinos hipnóticos fiquei sabendo desses tele transportes. Só não sabia onde estavam. Tem ainda maiores. A senhora ainda vai ver.
¾     Robô. Aqui tem fabrica de alguma coisa?
¾     Sim. Mas são fabricas pequenas. Material de apoio. Peças sobressalentes.
¾     Qual o forte desta base?
¾     Não entendi a pergunta.
¾     Qual a especialização desta base.
¾     Base de observação. Estoque de reatores. Alojamentos. Laboratórios de pesquisa biológica. Laboratórios de pesquisa técnico-cientifica. Esta base tem diversas funções.
¾     Nem eu imaginava tudo isto.
¾     Ela poderia ter sido um apoio de vida. Mas não foi completada.
¾     Vai ser.
¾     Dispense este robô de combate. Nós vamos a Terra através deste transmissor. Antes você vai tentar ativar o transmissor grande e contactar o transmissor gigante do ultimo planeta. Quero ver se ele responde.
¾     Será feito. O Coordenador de lá já esta ativo. Eu te aconselharia a entrar em contato com nosso Coordenador primeiro.
¾     Por que?
¾     Assim ele pode anunciar a necessidade da ativação do tele transporte e que logo vocês irão ate lá para fazer uma visita.
¾     Irei fazer isto. Você esta em contato constante com ele. Peça que ele faça isto. Espere. Eu faço.
Daniel aciona o transreceptor e chama o Coordenador.
¾     Sim, Daniel, o que deseja?
¾     Quero que você entre em contato com o Coordenador de Plutão e lhe comunique que o tele transporte gigante deve ser ativado.
¾     Assim será. Deseja ir ate lá?
¾     Não. Quem vai será o robô guia. Ele vai testar, analisar as condições locais e retornará para relatar a situação.
¾     Muito bem planejado. Já pedi que o Coordenador do ultimo planeta ative o transmissor. Ele me pediu alguns minutos para aquecer os geradores. E fazer testes primordiais.
¾     Ok. Diga-lhe que em breve eu gostaria de lhe fazer uma visita.
¾     Sim.
¾     Eu estarei voltando a Terra assim que fizermos este teste. Assim que o guia retornar e comunicar que esta tudo em ordem. Vou deixar a minha nave aqui e irei de transmissor.
¾     O Coordenador já me enviou sinal verde para a transmissão.
¾     Guia. Pode partir.
¾     Sim. Estarei de volta assim que fizer um check-up no equipamento.
¾     Estarei a espera.
¾     Dionizio. Quando eu estiver pronto para retornar entro em contato.
¾     Estarei na recepção.
¾     Pode ir guia.
O robô estabeleceu contato com a estação receptora da Base de Plutão. Entrou na área de segurança. Apertou a chave correspondente e sumiu.
Imediatamente ele rematerializou na Base de Plutão, mas isto Daniel e seus pais não puderam presenciar. Assim que chegou a base pôs-se a trabalhar para poder voltar e dar seu relatório a Daniel.
Nisto, na Base Lunar.
¾     Bem, Daniel. Sumir ele sumiu. Esperemos que tudo esteja bem e ele volte.
¾     Sim papai. Mas não ficaremos parados esperando.
¾     O que faremos ate lá?
¾     Vou mandar Dionizio ate a Terra pelo outro transmissor. Mamãe. Assim testaremos o outro equipamento. O da Terra, sabemos que esta funcionando.
¾     Vamos então.
¾     Dionizio, você ouviu. Teste este outro transmissor para a Terra.
¾     Farei isto. Volto se estiver tudo em ordem. Se o guia tentar voltar antes de meu retorno. Libere a recepção para que ele possa voltar.
Daniel entrou em contato com a base da montanha. Acionou o tele transmissor e recebeu liberação. Dionizio entrou no transmissor e Daniel acionou a transmissão.
Dionizio desapareceu. Surgiu na Terra. Fez as verificações necessárias.
O Celebro Eletrônico Central percebeu a chegada de Dionizio, entrou em contato.
Dionizio relatou em minutos toda a trajetória e os acontecimentos.
Relatou o episodio com o Coordenador Lunar. Deixou o Gigante a par de tudo. Este o liberou para retornar a lua. Pediu que Dionizio falasse a Daniel que assim que chegasse se comunicasse com ele.
Dionizio confirmou e partiu de volta a Base Lunar.
¾     Demorou. Houve problemas?
¾     Não. Nenhum. Estive conversando com o Mestre. Ele pediu que ao retornar a Terra se comunique com ele.
¾     Farei isto. Ele tem me ajudado muito.
¾     E o guia? Não voltou ainda? Quer que eu vá atrás dele? Entendo muito de tele transmissor.        
¾     Vá. Não. Se o transmissor estiver com defeito. Irei perde-lo. Esperemos um pouco mais.
¾     Mande o Coordenador daqui perguntar ao Coordenador de Plutão.
¾     Boa ideia.
Entrou em contato com o Coordenador, explicou a situação.
¾     Entrarei em contato. Espere.
¾     Estarei no aguardo.
¾     O Coordenador esta irradiando que esta tudo em ordem com nosso robô. Ele apenas esta ajudando a testar a sala dos tele transmissores. Havia alguns problemas e houve necessidade de corrigir alguns defeitos.
¾     Vai demorar?
¾     Não. Os robôs técnicos de Plutão já foram acionados e estão ajudando. Logo a Base de Plutão estará totalmente operante.
¾     E o Coordenador?
¾     Sei o que esta perguntando. Ele estará lhe aguardando. Pedi que ele colabore para que possamos voltar a ser uma rede eficiente novamente. Ele é muito importante para o conjunto.
¾     E ele respondeu o que?
¾     Vai analisar toda a situação e estará te aguardando. Você terá de ir comparecer pessoalmente a presença de cada um dos Coordenadores.
¾     São muitos?
¾     Sim. Mas vamos ver um por vez. Cada um deles que nos apoiar. Facilita a aceitação dos próximos. No final será apenas visita de reconhecimento. Confie e não demostre medo.
¾     Farei isto.
¾     O robô esta voltando. Os técnicos de lá o estarão enviando agora mesmo.
Perecia uma palavra magica e o receptor acendeu luz verde. O robô guia retornou.
Apresentou o relatório que Daniel já conhecia.  
¾     Tudo agora esta em perfeita ordem. Quando quiser utilizar o transmissor pode vir e usa-lo.
¾     Ok. Vou embora agora mesmo. Logo estaremos de volta para utiliza-lo.          
Despediu-se do Coordenador Lunar e chamou a todos da equipe.
Pessoal vamos para casa.
Guia, quando eu voltar quero que você continue me assessorando.
Estarei a disposição.
Entraram no transmissor e sumiram.
Surgiram na Terra.



















CAPITULO VIII

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog